Por: José de Oliveira | Fotos Raimundo Teixeira

 
Curta Baeturismo
 
 
GUIAS
:: Distritos
 
:: Comunidades
 
:: Hotéis
 
:: Restaurantes
 
:: Bares
 
:: Comércios
 
:: Saúde
 

Aldeia de Ponta Alegre festeja dia da independência

O dia 7 de setembro para todos os brasileiros é um dia em que o Brasil ficou independente de Portugal

 
   

Em traje de gala aconteceu o desfile indígena

 
   

A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.

Foi com esse objetivo de mostrar para os moradores das aldeias indígenas que professores, pais e alunos da Escola Municipal Rosa Cabral do Distrito de Ponta Alegre se uniram para realizar o desfile cívico com a participação das escolas das aldeias adjacentes, onde aconteceu uma vasta programação desde as primeiras horas do dia 7 de setembro.

Conforme a programação os alunos das escolas desfilaram pelas ruas da comunidade demonstrando o verdadeiro espírito patriota e valorizando as datas comemorativas, onde o 7 de setembro é uma das mais importantes, especialmente nas aldeias indígenas a data não passa em branco.

Para a professora aposentada Zila Costa Oliveira, 80 anos, que é filha da Professora Rosa Cabral que é homenageada com o nome da escola, a semana sempre tem um diferencial na área indígena dos Sateré Mawé. A professora, apesar de morar na comunidade de Santa Vitória do Coatá há 36 anos, não esquece de participar dos desfiles em sua terra natal, prestigiou todas as atividades do dia da Independência do Brasil.

“Todos os anos nós viemos aqui prestigiar o desfile e não deixa de emocionar a todos que acompanham a participação dos alunos, eu já fui professora aqui, no Pindobal, no Guaranatuba e conclui minha carreira no Coatá, sei da importância dessa comemoração, por isso, não poderia deixar de vim acompanhar os desfiles em Ponta Alegre”, declarou.

De acordo com o Tuxaua de Ponta Alegre Heliton da Silva Barbosa, os desfiles da semana da pátria em sua aldeia relembram a luta que todos os povos, principalmente os indígenas estão desenvolvendo diariamente para adquirir conhecimento através da educação, lutar contra o preconceito, valorização da cultura, pela melhoria na saúde, entre outros benefícios, isso significa um avanço para a igualdade entre todos.

“Estamos felizes por comemorar o Dia da Independência e por nos encontrar na comunidade, agradeço bastante a visita de todos e agradeço o novo líder de Barreirinha e não deixar de comemorar é manter viva a memória e mostrar de que somos independentes, livres para continuar a vida lutando por melhorias para as comunidades”, completou.

As crianças foram presenças marcantes no desfile

Os Desfiles
Durante a apresentação das turmas da Escola Municipal “Rosa Cabral” foi percebido o empenho que todos os professores tiveram para realizar as apresentações, como coreografias, desfiles sincronizados e as mensagens durante as poesias, declamadas pelos alunos que na sua simplicidade deram tudo de si para comemorar a data em sua escola.

“Para nós foi importante ficar à frente da programação, aqui no caso de Ponta Alegre, se não fizermos as comemorações do dia 7, a data pode ficar esquecida. Mas todos unidos, os pais, alunos e os professores puderam presenciar o sucesso alcançado. Todos estão de parabéns e abrilhantou muito a participação das comunidades de Santa Vitoria do Coatá, o Clube de Desbravadores, a Aldeia do Molongotuba, e a participação de todos foi fundamental onde estão sempre prontos para colaborar com as atividades da escola e isso nos faz feliz e nos dá segurança para que possamos fazer qualquer atividade e eles sempre vão estar nos apoiando”, afirmou a diretora do educandário.

Um dos destaques do desfile foi a participação do Clube de Desbravadores da Comunidade de Santa Vitória do Coatá que demonstrou o espírito cívico dada a importância da data para cada brasileiro. “Nós mesmos somos daqui de Ponta Alegre, mas as nossas raízes estão se espalhando pelas comunidades adjacentes, no dia de hoje o que os desbravadores têm a colocar é que estamos muitos alegres, pois é um dia de celebrar essa independência e, sobretudo celebrar junto com a escola que homenageia os meus filhos que são bisnetos da homenageada, isso nos remete ao dever cumprido comemorar essa data importante para todos nós brasileiros”, disse Geilza de Oliveira Paixão, diretora do Clube de Desbravadores Japiim da comunidade de Santa Vitoria do Coatá.

O Professor da Língua Materna Honorato Lopes Trindade, que há mais de 17 anos leciona na escola Rosa Cabral, diz que o momento é de reflexão sobre a pátria e puxando para o lado educacional no quesito costumes e a tradição de continuar a fala da língua indígena, ele remete para a idéia de que é preciso preservar a Língua e os costumes, pois o diferencial é manter as raízes Sateré Mawé.

“Muitas vezes já trabalhei aqui na escola a parte do tessume, o artesanato e em 45 minutos é muito rápido, não dá para aprender logo, mas acredito que eles vão aprender, muitas vezes só olhando já aprendem e o nosso objetivo é fazer com que eles aprendam e possam continuar as atividades que nossos antepassados deixaram para nós”, acredita.

Professores indígenas também desfilaram

Agradecimentos
A gestora da Escola professora Cleucinete Ferreira, ficou muito contente com a grande festa realizada pela comunidade escolar, não imaginava o grande sucesso que houve nas comemorações do dia 7 onde remete o compromisso de no próximo ano organizar e não deixar a cultura desaparecer.

“Fico muito feliz pela união dos saterés e a prova disso foi o sucesso que tivemos nesta atividade, todas as vezes que convocamos para realizar alguma programação, eles estão prontos para nos ajudar, por isso agradeço a cada um que se dispôs e abraçou a causa para que todos no final ficassem felizes. Mostrar o jeito de ser Sateré é mostrar o velho ditado que está sempre presente aqui conosco em nosso dia a dia, A UNIÃO FAZ A FORÇA”, agradeceu a diretora.

Alunos desfilam em frente à escola


Alunos convidados da aldeia de Molongtuba


Desbravadores indígenas fazendo evolução


Fazendo parte das comemorações foi dada a abertura do campeonato indígena da região

 

 
     

a cidade | comércio | órgãos públicos | fauna | flora | festa popular | zona rural | área indígena | mapas

baeturismo © todos os direitos reservados
Criação: baeturismo
As matérias e fotos aqui publicadas podem ser reproduzidas desde que citada a fonte
As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião de baeturismo, sendo de responsabilidade de seus autores


'